Bem-vindo ao sítio oficial do Colégio de Santa Doroteia

 

 

Inscrições para ano letivo 2020-2021

 

Estão abertas as inscrições para o próximo ano letivo.

Aceda aqui ao boletim interno para fazer a inscrição no colégio

 

 

MÊS DE MAIO, MÊS DE MARIA!


Chegámos a Maio, ou melhor, neste contexto pandémico em que vivemos, foi Maio que chegou até nós. E, se socialmente têm sido tempos difíceis, acreditamos que interiormente poderão ser muito desafiantes. “Maria guardava todas estas coisas no Seu coração” (Lc 2, 51) Maria, ‘confinada’ a uma presença na sombra mas atenta, no silêncio mas sempre disponível, é para nós um exemplo único, que nos faz olhá-la, neste mês de Maio, com uma ternura especial. Vamos, por isso, fazer-vos uma proposta de caminho, mesmo fechados em casa. E esse caminho fazemo-lo com Maria, para Maria, através de Maria e como Maria! Ela que nos acompanha e nos acolhe sempre como seus filhos… Ela que vivia cada momento, cada palavra, cada gesto de Jesus e os "guardava no Seu coração". E ‘este’ é o centro da nossa vida e o seu pulsar marca o nosso ritmo. Desafiemo-nos, então, à sua semelhança, a contemplar o rosto de Cristo e a deixar que Ele venha ao encontro das nossas dúvidas, alegrias, inseguranças, cansaços, conquistas, medos… e marque o ritmo das nossas vidas.

 

1.ª PROPOSTA: No início de cada semana, vai ser partilhada uma passagem dos evangelhos para rezarmos a vida e o exemplo de Nossa Senhora. E, no final, será publicado um vídeo de uma ou mais pessoas a partilharem a sua reflexão sobre: a) a leitura; b) importância de Nossa Senhora na sua vida; c) vivência deste tempo de isolamento.

 

2.ª PROPOSTA: Privados da celebração presencial das eucaristias semanais das sextas-feiras, vamos celebrar na capela do Colégio, e com transmissão em direto, a eucaristia “Hoje é Domingo…”, que estava agendada no Calendário Escolar a 16 de Maio, pelas 19h00.

 

3.ª PROPOSTA: Partilhamos a “Carta a todos os fiéis para o mês de Maio de 2020” do Papa Francisco, onde somos convidados a (re)descobrir a beleza da oração do terço, individual, familiar ou comunitariamente e um vídeo explicativo de como se reza o terço. No final do mês, dia 28, pelas 21h30, teremos um encontro síncrono, via Zoom, onde propomos, em vigília, uma recitação do Terço para e com toda a comunidade educativa.


“Queridos irmãos e irmãs, a contemplação do rosto de Cristo, juntamente com o coração de Maria, nossa Mãe, tornar-nos-á ainda mais unidos como família espiritual e ajudar-nos-á a superar esta prova.” (Papa Francisco).

 

 

Passagens dos evangelhos: 1.ª Semana; 2.ª Semana; 3.ª Semana; 4.ª Semana.

Vídeos semanais: 1.ª Semana; 2.ª Semana; 3.ª Semana; 4.ª Semana.

 

 

 

O Gabinete de Psicologia partilha

"Boas Práticas para quem está em isolamento"

(in Ordem dos Psicólogos Portugueses)

Clique na imagem para aumentar

"5 Boas Práticas na Gestão do Tempo e do Estudo".  

Parabéns a todos os 70 alunos que participaram no 1.º Desafio lançado pelo Gabinete de Psicologia.

Clique na imagem para aumentar

 

 

"5 Boas Práticas para Lidar com a Ansiedade".  

Parabéns a todos os 77 alunos que participaram no 2.º Desafio lançado pelo Gabinete de Psicologia.

Clique na imagem para aumentar

 

 

 

 

DIÁRIO DE GRAÇAS

À primeira vista, e partindo da nossa experiência concreta, nós diríamos que não tem nada a ver, porque a calamidade é uma espécie de lugar distópico, contrário de uma utopia: uma desgraça. E o tempo da graça é o inverso, é a utopia, é o tempo idealizado, é essa espécie de plenitude do desejo. Ora entre a linha da calamidade e a linha da graça, parece que há uma distância que não se vence. E que elas são duas paralelas destinadas a nunca coincidir. Porém, nós somos desafiados a encontrar e a construir interceções entre a linha distópica e a linha utópica, se quisermos, entre a linha da calamidade e a linha da graça.
Os gregos falavam do tempo como uma espécie de calamidade, porque o kronos é o titã que engole os seus próprios filhos – então essa experiência de devoração e de ameaça é alguma coisa que está inerente à nossa própria experiência do tempo. Mas eles usavam também outra palavra para designar o tempo - a palavra kairos - que significa tempo oportuno; o instante iminente; o lugar da própria revelação.
Somos desafiados a perceber que, dentro daquilo que nos parece ser apenas uma linha distópica, há espaço para alguma coisa se manifestar e para algo de bom poder acontecer. E aqui está o nosso grande desafio: a acreditar que não estamos condenados a viver nesta impossibilidade de cruzamento, mas que há, quotidianamente, interceções entre as duas linhas. Que, no fundo, representam este tempo agudo de crise que estamos a viver – mas, se quisermos, em linhas gerais representam também a nossa própria vida. E este é sobretudo um tempo de aprendizagem, penso eu... Nós temos de aprender a viver este momento. E um dos aspectos para mim mais significativos é permitir que, neste espaço de calamidade, o tempo da graça nos possa visitar.
Como é que o tempo da graça nos visita? Penso que esta epidemia, esta pandemia, vem introduzir dinâmicas que são anti-humanas, e por isso nos sentimos tão confinados, tão constrangidos, tão impossibilitados, tão desactivados. Porque nós somos seres comunitários, somos seres de relação, nós precisamos de tocar a vida, de sentir de uma forma táctil o próprio tempo, o espaço, as relações. E tudo isso, de certa forma, está suspenso, está vedado. Mas temos de inventar outra tactilidade para o mundo e para a vida.
Como é que o tempo da graça nos visita? Penso que nos visita sempre na vizinhança, na proximidade. Ainda que não possamos tocar, ou sair de casa, ou ir a determinado lugar, ou falar com determinada pessoa de forma presencial, a verdade é que há uma proximidade que podemos construir. Por exemplo, através da palavra, mas também através do pensamento, através da oração, através de formas de comunicação, de partilha de imagens – sejam as imagens exteriores, sejam aquelas imagens interiores.
Através da proximidade, de uma proximidade inventada e reinventada, o tempo da graça é capaz de visitar o tempo da calamidade. Mas também - e isso penso que a tradição bíblica nos ensina de forma muito clara - o tempo da graça também se manifesta pela surpresa. Dar lugar ao inesperado, dar lugar ao diverso, dar lugar à surpresa. E isso é alguma coisa muito importante.
Nestes tempos tenho-me interessado muito por ler, seja do ponto de vista religioso, seja até do ponto de vista judiciário, relatos de pessoas que estão habituadas a viver o confinamento. Um monge, por exemplo, está habituado: a sua natureza é o confinamento. Da mesma forma, um detido também tem os escassos metros da sua cela para viver o confinamento. E têm-me interessado muito esses relatos. Há duas coisas que vejo em comum entre aquilo que leio nos relatos de prisão e nos relatos dos mosteiros. Um é a importância - ao contrário daquilo que nós pensamos - da repetição. É muito mais fácil suportar um tempo que é igual. Isto é, que tem as horas certas, que tem os seus ritmos regulares, em que as coisas têm uma espécie de circularidade, de uma disciplina, de uma ascética. Isso torna o tempo muito mais suportável.
Mas há outra coisa em que ambos coincidem - é que em cada dia se deve aprender alguma coisa que não conhecemos. E isso é espantoso se pensarmos que há pessoas que vivem anos e anos da sua vida confinados a um pequeno espaço. Que coisas há para aprender naquele espaço? É uma pergunta que nos deve habitar. Porque se calhar há tantos recursos dentro de nós, que habitualmente não precisamos sequer de activar, que agora é o momento de os pôr em prática.


José Tolentino Mendonça

https://aosvossoslugares.com/

[…] o tempo da graça é capaz de visitar o tempo da calamidade…
o tempo da graça também se manifesta pela surpresa.
Dar lugar ao inesperado, dar lugar ao diverso, dar lugar à surpresa. […]

 

O Departamento de Pastoral do Colégio de Santa Doroteia desafia toda a comunidade educativa a escrever um Diário de Graças neste tempo de calamidade.

Alunos, Pais, Professores, Colaboradores e Irmãs são convidados a dar lugar à surpresa e a registarem diariamente na nossa página do Facebook  (nos comentários desta publicação) o que de bom experimentam…, o que têm aprendido…, o que descobriram…, o que gostariam de agradecer neste tempo diferente…

 

 

 

Informações sobre o Novo Coronavírus, COVID-19

Circular n.º 17 de 16 de Março

Circular n.º 16 de 13 de Março

Circular n.º 15 de 12 de Março

Plano de Contingência do colégio (atualização - versão 4 de 14-05-2020)

Informação da DGS - 11-03-2020

Circular n.º 14 de 9 de Março

Circular n.º 13 de 1 de Março

Circular n.º 12 de 28 de fevereiro;

Informação da DGS sobre as áreas afetadas em Itália;

Informação da DGS sobre procedimentos a adotar por cidadãos regressados de uma área com transmissão comunitária ativa do novo coronavírus;

Documentos informativos da Organização Mundial de Saúde (OMS): doc1; doc2;

Site da Direção-Geral de Saúde (DGS) sobre o Covid-19;

Página da DGS com comunicados atualizados sobre o surto de Covid-19;

Vídeo da OMS que explica como surgiu o vírus, como se propaga e quais as medidas de proteção;

Vídeo da DGS de apresentação de medidas gerais de proteção para o cidadão;

Vídeo da DGS com recomendações de medidas de proteção individual e coletiva na prevenção da infeção com COVID-19;

Cartazes para Escolas: cartaz1; cartaz2

 

Menos é Mais...

 


Dias Culturais

Estimados Encarregados de Educação, Estimados Alunos, Estimadas Irmãs, Professores e demais comunidade escolar, gostaríamos de vos convidar, mais uma vez, para a 5ª edição do Painel dos dias Culturais. Assim, o tema deste ano é MENOSÉMAIS – “- é +”
O grande desafio é … “saber dar sentido a tudo…usar com critério e sabedoria onde menos é mais… Porquê?
Para responder a esta questão, convidamos um conjunto de personalidades de diferentes áreas de intervenção, a Designer Rita Salgueiro, o Senhor Ministro do Ambiente João Pedro Matos Fernandes a actriz Oceana Basílio, O Dr. João Delicado e o Dr. Manuel Pinto Coelho, a fim de podermos ter visões diferentes, complementares e ilustrativas.
Parece que as tendências vão por aqui, menos dinheiro – mais tempo, menos quantidade - mais qualidade, menos redes - mais relação, menos distância – mais proximidade, menos luxo – mais simplicidade, menos sofisticação – mais autenticidade … que embrulhada! E que tal se voltássemos a dar vida ao que vale a pena, ao móvel que se herda e tem história, ao livro que se lê e relê, ao gosto pela poesia e pelo belo sem ter medo do que os amigos das redes pensam sobre o meu estilo de vida, que me importa se estou ou não estou na rede? Que dirão se gostar de estar comigo mesmo, com as minhas coisas e com os meus silêncios? Que pensarão se eu disser que gostava de me conhecer? Importa-me ter rede, sim, mas uma rede sólida de amizades escolhidas e construídas para uma relação presencial e de afetos. Vamos a isso? Venham aprender a conjugar o verbo “DESTRALHAR”....


 


Dias Culturais - Departamento de Português

 

 


Hoje é Domingo para a Comunidade Educativa

O Colégio relembra a Eucaristia Hoje é Domingo para a Comunidade Educativa, preparada pelos Pais, Alunos e Grupos de Catequese do 2.ºCiclo, que terá lugar no próximo sábado, dia 8 de fevereiro, às 19h00, na Capela.
Esperamos por todos para celebrar o V do Tempo Comum.

 

 

 


IFC 2019

No âmbito da disciplina "Inspira - te, Faz e Cria" (IFC), o Colégio terá a visita de Catarina Furtado para a dinamização de uma atividade com o 12.º ano.

 

 


SEMANA ABERTA DAS ATIVIDADES DE COMPLEMENTO CURRICULAR

 

Informação completa e detalhada aqui

 


Campanha Mochila Leve

Dando seguimento à iniciativa do Ministério da Educação, que decidiu avançar com uma campanha de sensibilização dirigida a alunos, encarregados de educação, professores e diretores, divulgamos um folheto com algumas recomendações para todos os alunos e Encarregados de Educação.

Clique na imagem

 


BEO 2019

Partilhamos aqui a mensagem que recebemos da Diretora académica do projeto:

Your team came 6th, which is a fantastic achievement as there were 144 teams in total. Congratulations!!! I think you all can be very proud of the hard work you’ve put in.

Temos de facto motivos para estar orgulhosos com tudo o que fizemos e aprendemos!
Estavam mais de 2600 alunos envolvidos, 144 equipas de 22 países!

 

 

 

 

clique no texto para aumentar

 

 

 

16 de junho de 1866

Partiram de Génova, com destino a Portugal, três Irmãs Doroteias que, depois duma viagem acidentada, chegaram a Lisboa no dia 16 de junho de 1866.

Instaladas provisoriamente em casa duma família, “ao anoitecer do dia 5 de Julho de 1866, numa quinta-feira simples, sem título que a recomendasse, as três fundadoras, discretamente, entraram na sua casa”.

Era uma casa enorme, degradada e desconfortável, “na nudez do seu mobiliário: seis camas, seis cadeiras, seis mesa de cabeceira, duas mesas para o refeitório e alguns utensílios de cozinha e refeitório, regista o Diário .
 

 

clique para ver o jornal

No mistério da noite, nascia pobremente o Colégio do Quelhas e com ele a Província Portuguesa das Irmãs de Santa Doroteia: no silêncio, como a semente que germina e será arvore, no segredo, como dormem as fontes ignoradas que um dia acordarão em torrentes”.

 
Ir. Maria do Céu Nogueira, História da Província Portuguesa das Irmãs de Santa Doroteia, Linhó 1967


Faz hoje 150 anos que as Irmãs Doroteias chegaram a Portugal.

Aproveitamos para informar que já está disponível a plataforma europeia Educa-dor comum a todos os Centros Educativos da Europa.

Obrigada a todos os que partilham connosco este tesouro e esta História.


A Direção.
 

 

 

Na abertura das comemorações dos 150 anos foi assim...

 

 

 

Entrevista à irmã Lúcia Soares sobre os 150 anos das Irmãs Doroteias em Portugal.

 


 

 
Um Tesouro a Descobrir. Uma história a Agradecer.

 

 

 

Aconteceu no colégio...

Visite a secção "Aconteceu no colégio..." e fique a par das novidades do nosso colégio.

 

 

 

NOTÍCIAS DO COLÉGIO

_______________________________

 

_______________________ 

 

 

"Educar bem as crianças

é transformar o

Mundo e conduzi-lo

à verdadeira vida"

 

Paula Frassinetti    

 

 

 

              

 

 

    

 

 

     

 

 

 

 

 

 

 

O Colégio

História

Projeto Educativo

Regulamento Interno

Organograma

Instalações

Segurança e higiene

Qualidade alimentar

Localização e contactos

_________________________________

Oferta Educativa

2º Ciclo

3º Ciclo

Secundário

Plano Anual Geral de Atividades

Complemento Curricular

Desporto Escolar

Coro

Gabinete Psicologia - Orientação Escolar

_________________________________

Departamentos

Pastoral

Português

Matemática

Línguas Estrangeiras

Ciências Sociais e Humanas

Ciências Socioeconómicas

Ciências Naturais

Ciências Físico-químicas

Artes

Educação Física

Oferta de Escola

Formação Humana/Cidadania e Desenvolvimento

_________________________________

Formação Humana e Cristã

Formação Humana e Religião

Catequese

Perfil do Aluno / Delegado de turma

Prémios Paula Frassinetti

Escola de Serviço / Voluntariado

_________________________________

Serviços

Refeitório e Cafetaria

Enfermaria

Papelaria

Bibliotecas

Reprografia

Manuais escolares

_________________________________

Comunicação Online

Dorotícias

Calendário Escolar

Aconteceu no colégio...

Circulares

Área de Encarregados de Educação

Área de professores

Correio eletrónico

Classroom

Escola virtual

O CSD no Facebook

_________________________________

Secretaria

Horário

Inscrições

Tabela de preços

Legislação / Exames

_________________________________

Irmãs Doroteias

Paula Frassinetti

Família Doroteia

Optimizado para Google Chrome; 1024x768 | Ultima actualização: 12/03/2020

Colégio de Santa Doroteia - Av. Marechal Craveiro Lopes, 1 - 1749-012 Lisboa | Tel.:217570311 | Fax:217590061 | email: csdoroteia@csdoroteia.edu.pt

homepage: www.csdoroteia.edu.pt | webmaster: Fernando Vitória

 

2020 Colégio de Santa Doroteia | Todos os direitos reservados

 

Política de Privacidade